Sexta-feira
29 de Maio de 2020 - 
Advocacia Cível, Direito de Familia, Sucessões, Consumidor, Trabalhista e Previdenciária
Anos de tradição jurídica
Confiança, credibilidade e competência

Area do cliente

Usuário
Senha

Notícias

Cadastre-se

Deixe o seu melhor email e se mantenha informado sobre o Direito do Trabalho.
Nome
Seu email

NJ - Justiça do Trabalho de MG transfere R$ 1 milhão a Uberlândia para compra de testes rápidos de Covid-19

Nessa quinta-feira (2), a juíza Tânia Mara Guimarães Pena, titular da 1ª Vara do Trabalho de Araguari, destinou R$ 1 milhão ao município de Uberlândia para o fim específico de aquisição de testes/exames rápidos a serem utilizados na detecção de Covid-19. De acordo com a decisão, os testes/exames, a serem direcionados pela Vigilância Epidemiológica do Município de Uberlândia, deverão ser utilizados prioritariamente na testagem dos profissionais da área de saúde, incluindo ainda vigilantes, vigias e pessoal de limpeza, que transitam nos hospitais/unidades médicas. Conforme determinou a magistrada, a prestação de contas será feita mediante a juntada de nota fiscal de compra dos produtos, no prazo de até 30 dias após o término da realização dos referidos testes, sem prejuízo de outras informações porventura solicitadas pelo Ministério Público do Trabalho. A julgadora salientou que a Secretaria da Vara deverá providenciar junto à Caixa Econômica Federal a transferência da quantia para a conta bancária indicada pelo município de Uberlândia. No caso, o município de Uberlândia encaminhou, via Ministério Público do Trabalho, pedido de liberação do valor de R$ 1 milhão para compra inicial de 10 mil testes rápidos. O pedido foi feito por meio de uma ação civil pública cível. A quantia foi depositada em juízo pela Ferrovia Centro-Atlântica S.A. Na decisão, a magistrada chamou atenção para a importância do isolamento social e da realização de testes em larga escala em casos suspeitos do novo coronavírus, práticas que representam a fórmula mais eficaz para conter a pandemia. “”, ponderou. Na avaliação da magistrada, a necessidade de aquisição dos testes pela rede pública esbarra em questões orçamentárias, uma vez que os fornecedores, em regra, exigem pagamento adiantado, o que, geralmente, não é suportado pelo caixa dos municípios e estados, principalmente na atualidade, com tantas demandas urgentes. Na fundamentação da decisão, a juíza citou a Recomendação Conjunta PRESI-CN n. 1, de 20/3/2020, editada pelo Conselho Nacional do Ministério Público e Corregedoria Nacional do Ministério Público, direcionada a todos os membros do Ministério Público do Brasil, orientando a adoção de medidas para a reversão dos valores oriundos de ações judiciais ou procedimentos administrativos para custear ações de combate à Covid-19. Foi citado também o artigo 9º da Resolução nº 313 do CNJ, de 19/3/2020, no sentido de que “”. Foi citada também como referência a recente decisão do STF, na qual o Ministro Alexandre de Moraes homologou proposta de ajuste acordo apresentada pela PGR, revertendo para o Ministério da Saúde, para custeio de ações de combate ao coronavírus, valores anteriormente destinados à educação e proteção ao meio ambiente. Ao finalizar, a magistrada ressaltou que a rede pública hospitalar em Uberlândia é referência em atendimento médico de pacientes oriundos de todas as cidades do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (notadamente de pacientes de Araguari, onde tramita a ação analisada). “”, concluiu.
03/04/2020 (00:00)

Endereço

Silva & Santana Advogados (Advogado Trabalhista)

Avenida T-4  619  Qd. 141, Lts. 4/5, Sala 1013, Edificio Buena Vista Office Design
-  Setor Bueno
 -  Goiânia / GO
-  CEP: 74230-035
+55 (62) 32245073+55 (62) 983319932+55 (62) 985914706+55 (62) 991443681
Visitas no site:  2798882
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.